Tony Babalu ::: 15/01/16 ::: SESC BELENZINHO / SP

Publicado em 19 jan 2016

TB_8Texto por: Carla Maio

Fotos por: Leandro Almeida

Tony Babalu apresenta Live SessionsatMosh no SESC Belenzinho

Uma obra artesanal, com liberdade e espaço para improvisações em temas longos e com poucas linhas melódicas definidas, o que garante a quem ouve o álbum Live Sessions at Mosh, do guitarrista e compositor Tony Babalu uma deliciosa viagem sonora, anacrônica e atemporal, às referências do rock, blues, baião e funk.
Na última sexta-feira (15), Tony Babalu e os músicos Percio Sapia (bateria), Leandro Gusman (baixo) e Adriano Augusto (piano e teclados) apresentaram para o público do Teatro do SESC Belenzinho as músicas que compõem o álbum, lançado em junho de 2014.

Sempre simpático e compenetrado, Tony Babalu começa o show com seu violão Cumberland para apresentar a inédita e recém lançada composição “Encanto”. Na sequência, os músicos assumem seus instrumentos e, numa levada rock-jazzística, apresentam“Valsa Paulistana”, música que conta com um solo embalado por ondas sonoras que vão se avolumando gradualmente e que fazem a Fender Stratocaster de Tony, adquirida em 1976 pelas mãos de Wander Taffo, estabelecer infinitos diálogos harmônicos e melódicos com os demais instrumentos.

“Pompeia’sgroove” apresenta todos os elementos de uma música completa, uma selvageria sonora que homenageia o bairro de origem de Tony Babalu, um dos lugares mais emblemáticos e significativos da cena do rock nacional paulistano.

TB_2Do percurso profissional e de vida de Babalu, outras histórias se agregam às composições, como é o caso de “Suzi”, música composta em homenagem à sua esposa, em que Tony escancara todo o seu sentimento em versos melódicos belíssimos: “em 1969, há quase 40 anos, eu conheci a Suzi, tínhamos 15 anos naquela época, ficamos juntos e vamos continuar por muito mais tempo ainda”.

Com um impressionante solo que ecoa do teclado de Adriano Augusto, “Brazilian blues” é definida como um blues urbano, noturno e cosmopolita, uma viagem psicodélica que é guiada pela tensão dos acordes da Fender Stratocaster ao longo dos seus quase 12 minutos.

TB_12“O cometa Halley passa pela terra de 76 em 76 anos, a última vez que ele passou por aqui foi em 1986. Naquela época, eu comprei um gravador Tascam, de 4 canais, e com ele fiz muitas gravações enquanto avistava da minha janela aquele pequeno chumaço de algodão no céu”, conta Tony. Dessa contemplação astronômica surgiu a imprevisível “Halley 86”, definida como a mais brasileira de todas as músicas do álbum, evidenciando, sobretudo, a propriedade técnica e musical do baixista Leandro Gusman.

Com uma pegada mais rock’n’roll, “Vecchione Brothers”, uma clara referência aos músicos do Made in Brazil Oswaldo e Celso, presentes na plateia, a música é outra forma que Tony Babaluencontra para homenagear seus companheiros de estrada, a experiência e as raízes musicais que o consagraram em meio à segunda geração de guitarristas do Brasil, desde os tempos em que tocaram juntos no Made.

TB_7“Dois amigos da infância, foi com eles que aprendi quase tudo o que eu sei, principalmente em termos de enfrentamento ao sistema, de viver de rock, fundadores de uma banda conhecida em muitos lugares, sem sequer ter se rendido à mídia, são caras que atravessaram o tempo e por isso essa música os homenageia, porque eles são nosso ZZ Top brasileiro”.

No retorno para o bis, Babalue banda apresentam novamente “Pompeia´sgroove”, para encerrar a noite deixando nos presentes um gostinho de “quero mais” desse álbum perfeitamente elaborado, que agrada os ouvidos dos amantes da boa música. E que venha mais do grandiosíssimo Tony Babalu.

TB_1O apresentador e programador da web rádio Stay Rock Brazil, Rogério Utrila Félix de Oliveira, achou o entrosamento de Babalu com a banda perfeito: “apesar do probleminha com o cabo no começo do show ter deixado o Tony um pouco irritado, a apresentação foi excelente, mostrou que o Rock ‘N Roll não precisa de firulas, pois quando é tocado com o coração faz com que esse estilo musical se torne mais vivo do que nunca. No final do show, Rogério se surpreendeu com a receptividade de Babalucom os fãs: “ele tirou algumas fotos e conversou sobre sua carreira e algumas curiosidades. Adquiri o CD que estava à disposição e provavelmente irei a outras apresentações”.

Set List

Encanto

Valsa à Paulistana

Pompeia’sgroove

Suzi

Brazilian Blues

Halley 86

Vecchione Brothers