Almir Sater ::: 06/01/17 ::: Sesc Pinheiros

Publicado em 18 jan 2017

asAgradecimentos: Sesc Pinheiros (Poliana)

O violeiro sul-mato-grossense traz a mistura da tradição da música caipira com o folk. Agrega uma sonoridade tipicamente caipira da viola de 10 cordas, com influências das culturas fronteiriças da região pantaneira, como a música paraguaia e andina, e reflete os traços populares e eruditos. Sater, com mais de 30 anos de carreira, possui em seu repertório os discos: Estradeiro (1981), Doma (1982), Instrumental (1985), Cria (1986), Rasta Bonito (1989), Instrumental 2 (1990), Ao Vivo (1992), Terra de Sonhos (1994), Caminhos Me Levem (1997) e 7 Sinais (2006).

Fez parte da geração Prata da Casa, movimento que juntou expoentes da música sul-matogrossense como Tetê Espíndola, Alzira Espíndola e Paulo Simões, entre outros, além de ser um dos responsáveis pelo resgate da viola de 10 cordas, reinventado o instrumento na música brasileira ao misturar blues, folk, música folclórica e caipira.