Dave Lombardo fora do Slayer

Publicado em 21 fev 2013

Dave Lombardo publicou uma nota dizendo que foi demitido do Slayer! O motivo: ele questionou o modo como os negócios da banda são geridos, e o guitarrista Kerry King não teria gostado dessa atitude e o expulsou do grupo.

Segundo a Classic Rock, o início de toda essa história está no fato de que, após consultar os dados financeiros da banda, Lombardo percebeu que apenas 10% de todo o valor que o Slayer arrecadou durante as turnês que realizou em 2012 chegaram aos bolsos dos músicos. Ele questionou isso com King, conforme o próprio baterista conta em seu comunicado oficial:

Quero pedir desculpas pessoalmente a todos os nossos fãs na Austrália que compraram bilhetes para a turnê com a expectativa de me assistir no meu lugar habitual na bateria.

Para que todos saibam a verdade, a partir do final do contrato que temos entre nós, que venceu em 14 de fevereiro, fui informado de que não seria o baterista para a turnê na Austrália. Estou triste, e para ser honesto, chocado com a situação.

No ano passado eu descobri que 90% da renda do Slayer em turnê estava sendo deduzida como despesas, incluindo os honorários profissionais pagos aos managers, custando milhões de dólares das receitas da banda e deixando apenas 10%, ou menos, para ser dividido entre nós quatro. Na minha opinião, essa não é a maneira como uma banda deve operar financeira e administrativamente. Tentei corrigir isso, levando a situação até os meus companheiros. Tom e eu contratamos auditores para descobrir o que aconteceu, mas me foi negado o acesso a informações detalhadas e aos documentos necessários.”

Lombardo diz que estranhou quando, no Natal de 2012, recebeu apenas um pequeno adiantamento depois de rodar o mundo durante todo o ano passado. Quanto questionou isso, recebeu a resposta que o contrato que ele havia assinado quando retornou ao grupo em 2001 não lhe concedia acesso às informações financeiras do grupo, bem como dar entrevistas e conceder declarações em nome do Slayer.

Dave continua: “Segunda-feira passada sentei com Kerry e Tom para ensaiar para a turnê australiana e propor um novo modelo de negócio para a banda, que eu ser o melhor caminho a seguir. Kerry deixou claro que ele não estava interessado em fazer mudanças, e disse que se eu quisesse discutir esse assunto ele iria encontrar outro baterista. Na quinta-feira ensaiamos por uma hora, como previsto, mas Kerry não apareceu no ensaio. No final do dia recebi um e-mail dos advogados dizendo que estava sendo substituído para as datas australianas. Continuo esperançoso de que podemos resolver os nossos problemas. Mas mais uma vez, peço sinceras desculpas a todos os nossos fãs na Austrália, que gastaram seu dinheiro à espera de ver nós três, membros originais do Slayer.”

Todo esses acontecimentos vem à tona poucos dias após Kerry King declarar que não deseja ter substitutos se revezando na vaga de Jeff Hanneman, que está afastado por motivos de saúde e não tem previsão de voltar ao grupo. Jeff, inclusive, deve ficar fora da gravação do novo álbum do Slayer. Ele está sendo substituído temporariamente por Gary Holt, do Exodus. Para o posto de Lombardo, o Slayer já anunciou o retorno do baterista John Dette, que tocou na banda entre 1996 e 1997, mas não chegou a gravar nenhum disco.

Essa é a terceira vez que Dave Lombardo deixa o Slayer. Ele saiu em 1986 alegando também questões financeiras, mas retornou no ano seguinte. Em 1992 deixou o grupo novamente, retornando apenas em 2001.

No momento, a banda conta, então, apenas com Kerry King e Tom Araya como membros originais e fixos. Mas, ao que parece, com base nas declarações de Lombardo, há algo de podre dentro do reino sangrento do Slayer, e não me surpreenderia se tivéssemos novidades sobre o assunto nas próximas semanas.

Vale lembrar que o Slayer está escalado para o Rock in Rio 2013, e tocará no festival no dia 22/09, mesma data de Iron Maiden e Avenged Sevelfold.

Por Ricardo Seelig (@collectorsroom)