ONSTAGE - Official Website - All Rights Reserved 2017
Website by Joao Duarte - J.Duarte Design - www.jduartedesign.com

Lochlyn Munro – Horror Expo – Pavilhão De Exposições Do Anhembi – 19/10/19
Postado em 29 de março de 2020 @ 17:50 | 1.582 views


Lochlyn Munro – Horror Expo – Pavilhão De Exposições Do Anhembi – 19/10/19

Respostas simples para perguntas simples. Assim foi Lochlyn Munro na Horror Expo

Por: Vagner Mastropaulo

O painel com Lochlyn Munro, inicialmente programado para as 13:00 no Palco Horror Expo deveria durar uma hora e o local se manteve, mas, pelos atrasos, sua duração caiu para vinte e cinco minutos, começando apenas às 14:50. Mesmo assim, seus fãs marcaram presença para ver e ouvir o que tinha a dizer o ator que interpreta Hal Cooper na série Riverdale, sem deixar de citar outras atuações como: Greg, de Todo Mundo Em Pânico (2000); Delegado Scott Stubbs, em Freddy x Jason (2003); e especialmente o Agente Jake Harper em As Branquelas (2004) – respectivamente: Scary Movie; Freddy Vs. Jason; e White Chicks, nos originais em inglês (uma mini-biografia do canadense está no próprio site oficial do evento: https://horrorexpo.com.br/convidados/lochlyn-munro). O papo imediatamente se tornou uma sessão de perguntas e respostas e ficaremos devendo o nome da mediadora / intérprete (se alguém o souber, deixe-o nos comentários). Mais uma vez, optamos por nossa própria tradução, realçando dois pontos: devido à presença da tradutora, a maioria das perguntas surgia em estrutura indireta; e, diferentemente de Mick Garris, Lochlyn optou por respostas superficiais e objetivas, furtando-se de detalhes. Leia como foi:

Lochlyn Munro: Olá, Brasil!
Mediadora: Ok, então agora a gente vai começar uma sessão de perguntas e respostas. Quem tiver alguma pergunta, pode levantar a mão e eu trago o microfone até vocês, tá bom? Alguém tem alguma pergunta? [nota: comentando observação a ela feita pelo próprio ator] Ele está falando que tem muita gente com o celular levantado!
LM: Olhem todos andando em direção ao palco! Vamos lá, vamos nos aproximar e nos tornar íntimos. Do que vamos falar? Riverdale? [nota: e pediu um pouco de água]
Mediadora: Alguém tem alguma pergunta? Tem uma menina ali, pode fazer sua pergunta. E pode falar em português. Se você quiser, eu traduzo. Como você se sentir mais confortável.
Pergunta 1: Queria saber sobre seu trabalho em… peraí… é… [nota: hesitante ao tentar em inglês] Vou falar em português porque está me dando nervoso! Está me dando nervoso!
LM: Você pode falar em português, eu entendo!
Pergunta 1: Queria saber se você já sabia sobre o Capuz Negro, de Riverdale. E como foi fazer As Branquelas? Se te chamassem para As Branquelas 2, você faria? E como foi trabalhar em Todo Mundo Em Pânico? É… me empolguei, gente, desculpa! Como é que foi trabalhar com a Anna Faris e os irmãos Wayans? É isso, gente, me empolguei!
LM: Não, eu não sabia que eu ia fazer o Capuz Negro. Descobri que eu era o Capuz Negro quando mostrei o filme caseiro da família Cooper no episódio vinte e um da segunda temporada. Com certeza, eu definitivamente faria As Branquelas 2! [nota: aplaudido] E ouvi rumores que eles realmente querem fazê-lo! [nota: novamente aplaudido] Sobre Todo Mundo Em Pânico, foi muito divertido. Foi muito divertido trabalhar com os irmãos Wayans, fizemos muitas improvisações. Esse foi o primeiro filme que fiz com eles. Então fiz As Branquelas e O Pequenino [nota: Little Man (2006), no original] E minha experiência em Todo Mundo Em Pânico foi ‘perfecto’ – não sei [nota: tentando falar em português].
Organizador: Para facilitar, quem for fazer perguntas, venha aqui ao lado direito do palco. Aqui, olha! Tá bom, gente? Aqui onde eu estou, fica mais fácil! Aqui, olha, para quem for fazer perguntas, fique aqui porque fica mais fácil. Fazer uma fila aqui, fica mais fácil!
Pergunta 2: Eu estava pensando… qual é seu filme de terror favorito?
LM: Meu filme de terror favorito seria… [nota: pensativo] meu filme de terror favorito seria Sexta-Feira 13, o primeiro deles! [nota: aludindo a Friday The 13th (1980) e não ao remake homônimo (2009]). E Freddy x Jason!
Pergunta 3: Acredito que, por todos os filmes que você fez, você tenha uma gratidão, por ter participado. Queria saber qual deles você gostaria de refazer, se você pudesse participar de novo das filmagens, do elenco e tudo mais. Qual você refaria?
LM: Se eu pudesse refazer um dos filmes que já fiz, acho que gostaria de fazer Os Estragos De Sábado À Noite [nota: A Night At The Roxbury (1998), no original].
Pergunta 4: Você fez um filme chamado Louco Por Elas [nota: A Guy Thing (2003), em inglês] muito tempo atrás. E seu personagem era, meio que, muito estressado, irritado o tempo todo, você ficava gritando. Como você se prepara para papéis assim? Porque ele é meio parecido com o que você fez em As Branquelas. Sabe, nervoso? Como você se prepara para papéis como esses?
LM: Acho que o modo como me preparo para esses… não sei, eu … sabe, eu… eu os encontro quando chego ao set e apenas capto muita energia. É quase como estar no palco de um teatro. Mas eu te direi que café e energético ajudam!
Pergunta 5: Queria saber, se você não fosse ator, que profissão você teria?
LM: Se eu não fosse um ator, gostaria de ser apresentador de talk show [nota: saindo da obviedade encontrada no link do primeiro parágrafo do texto, pois nele está escrito que o ator só não seguiu carreira profissional no hóquei sobre o gelo devido a uma séria lesão].
Pergunta 6: Gostaria de saber como foi a experiência de gravar As Branquelas e Riverdale e, principalmente, como foi gravar a cena final, a do desfile de As Branquelas, que tem toda aquela briga, porque é uma cena fantástica que acredito que prende a atenção de todo o público no filme.
LM: Em As Branquelas, houve muita diversão em fazê-lo. Riverdale também foi divertido de fazer. Mas filme e série são tão diferentes. As Branquelas é tão ‘palhaçada e diversão’ e Riverdale é mais ‘sombria’, uma estória mais sombria e tensa. É realmente legal poder fazer ambos, a comédia e o drama.
LM: [nota: após demora até a próxima pergunta e sem entender que estava sendo feita uma fila] Onde está o microfone? As pessoas deste lado não estão tendo chance de fazer perguntas.
Mediadora: Quem quiser perguntar, fique do lado direito, tá bom? Tem uma fila que já está sendo formada para quem quiser perguntar.
Pergunta 7: Para você, como foi gravar Todo Mundo Em Pânico, sendo que é um filme de terror que não é terror? Como foi no set? Porque tem toda aquela comédia, porém tem toda a produção de terror também, é uma mistura, né? Então gostaria de saber como foi essa energia no set, produzir esse tipo de filme.
LM: Em Todo Mundo Em Pânico, a energia… a família Wayans tem o costume de ter um primeiro roteiro não muito detalhado. Então apenas improvisávamos em torno do roteiro e as pessoas apenas traziam o que podiam para as personagens, para realmente criar o filme. E eu diria que setenta por cento de Todo Mundo Em Pânico foi, de fato, improvisações em torno do roteiro.
Pergunta 8: Queria perguntar um pouco sobre Riverdale, principalmente porque a terceira temporada entrou agora na Netflix. E queria entender um pouquinho como foi sua personagem e o que a gente pode esperar também, se você já pode jogar algum spoiler aqui para a gente.
LM: Bem, fui preso na terceira temporada. Então, na verdade, foi bem interessante fazer o Hal Cooper como personagem na prisão. E então, quando escapei da prisão e encontrei Betty e as crianças na floresta, parece que a Penelope matou a personagem, mas ainda não temos certeza, eu não sei. Vejam, os roteiristas não nos dizem nada, então ninguém, na verdade, nunca me disse se eu fui morto ou não. Mas na quarta temporada, tenho feito flashbacks até agora com uma Betty mais jovem. Então talvez, talvez Hal Cooper tenha um gêmeo. Não sei, essa é apenas minha teoria.
Pergunta 9: Como ator, que tipo de projeto você prefere: teatro, cinema ou TV? E por quê?
LM: Sabe, acho que… acho que o legal do teatro é obter a energia instantânea da plateia, quando se está atuando numa peça. E quanto a criar personagens, como ator, você bola o mesmo personagem, no set de filmagens ou estúdio de TV, que faria numa peça. O processo é o mesmo.
Pergunta 10: Gostaria de te perguntar: qual é a melhor e a pior parte de ser um ator?
LM: Bem, a melhor parte de todas em ser um ator é que consigo conhecer fãs maravilhosos, como vocês [nota: aplaudido]. E também criar personagens. É um trabalho realmente interessante poder usar sua imaginação. E a pior parte é provavelmente a memorização, me lembrar de todos os diálogos. E as longas horas.
Pergunta 11: Queria perguntar, se você fosse de um filme de terror… um vilão de um filme de terror, seria um monstro, um fantasma? Que tipo de criatura, ou pessoa mesmo, você seria nesse filme, se você fosse atuar? Qual seria seu roteiro, assim…?
LM: Bem, acho que, se eu fosse criar um vilão… eu seria um monstro? Eu sempre… sempre achei que seria realmente interessante interpretar o Drácula.
Pergunta 12: Queria saber se você acredita que vai ser um personagem importante na quarta temporada de Riverdale.
LM: Meu personagem, Hal Cooper… eles nunca nos dizem o que está rolando. Mas, em meus pensamentos mais íntimos e verdadeiros, sinto que vocês não viram o final de Hal Cooper.
Pergunta 13: Espero que você esteja curtindo o Brasil!
LM: Estou sim, obrigado!
Pergunta 13: Gostaria de saber qual foi sua reação quando você soube o que se tornaria o Hal Cooper, na segunda temporada de Riverdale, em que ele foi o vilão, bem diferente do que era na primeira. Como você se sentiu quando soube disso?
LM: Para te dizer a verdade, eu realmente não queria ser o Capuz Negro. Porque sempre, desde a primeira temporada, estava curtindo a formação da minha relação com a Betty, com ela sendo meio ‘moleque’. Sempre achei que teríamos conversas enquanto trabalhássemos no meu carro e faríamos coisas de mecânico. Apenas… sabe? Talvez jogássemos beisebol juntos, ou o que fosse. Sempre quis que essa fosse minha relação, então quando eu descobri que era o Capuz Negro, fiquei um pouco desapontado.
Pergunta 14: Queria fazer uma pergunta que não me deixa dormir há meses, há anos… você sabe se vai ter As Branquelas 2? E queria cantar um pedaço da música para você: “And I need you! And I need you!”. Obrigado!
LM: Bem, espero que tenha um As Branquelas 2, não sei. Obrigado por ter cantado essa música e vou te dar algo de As Branquelas. Está pronto? “What a beautiful chocolate man! Ha, ha, ha, ha” [nota: empostando a voz e arrancando aplausos]. Levou um bom tempo para que eu conseguisse falar como o Marlon. Me desculpe, Shawn!
Mediadora: Só para lembrar, a gente tem as fotos para o Meet And Greet, que vão estar disponíveis lá, ao lado do painel do Meet, e agora a gente está indo para a nossa última pergunta!
Pergunta 15: Você fez As Branquelas, Riverdale… há algum tipo de gênero que você não filmou ainda e gostaria de fazer?
LM: Então, acho que eu realmente… sabe? Sou muito sortudo por fazer comédia e drama, mas acho que seria bem divertido fazer um grande filme de ação como Velozes E Furiosos. Obrigado! Obrigado, Brasil! Estarei em algum lugar por aqui, numa mesa, para assinar camisetas, o que for que queiram, e tirar fotos com vocês. Isso será em algum lugar por aqui… ah, vocês sabem onde é. Ok! Então, obrigado e vejo vocês por aí em breve!

 

Encerrado o breve papo, era hora de correr para a Horror Talk com Christopher Johnsson, vocalista do Therion (em matéria transcrita aqui) e também para o painel sobre o filme Nightmare Cinema, com presença do próprio diretor, Mick Garris (também transcrita no site), além dos shows que encerrariam a programação do Palco Horror Expo: Midnight Danger, Furia Inc, Venomous e Sious 66 (em breve resenhados).

HQ/Comics · Notícias



Deixe seu comentário / Leave your comment





1 User Online
 
ONSTAGE - Official Website - All Rights Reserved 2017